Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Em reunião, Searh anuncia que paga PCCR este mês

Janeayre Souto se reuniu ontem com o secretário Alber Nóbrega
O Governo do Estado fará o pagamento dos 60% pendentes do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR) de aproximadamente 16 mil servidores diretos em folha suplementar no mês de julho. A foi a informação divulgada ontem pela diretoria do Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público da Administração Direta do Estado do Rio Grande do Norte (Sinsp-RN). Segundo a presidente da entidade, Janeayre Souto a definição foi anunciada em uma reunião, na manhã de ontem (22), com o secretário de Estado de Administração e Recursos Humanos, Alber Nóbrega
 De acordo com Janeayre Souto o impacto na folha de pessoal será de aproximadamente R$ 7 milhões. “Na reunião realizada hoje (ontem), o secretário Álber nos informou que a folha suplementar seria anexada à folha de pagamento referente ao mês de julho, que inclusive já havia mandado confeccionar essa folha extra”, disse Janeayre.
Governo do Estado, que informou que o secretário Álber Nóbrega preferia não se pronunciar sobre o assunto.
 No último dia 4 de julho, o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN) determinou que o Governo do Estado implante imediatamente os valores referentes às promoções previstas no PCCS no contracheque de aproximadamente 16 mil servidores. O benefício é referente ao efeitos financeiros garantidos na Lei Complementar Estadual (LCE) nº 432/2010 que fixou o PCCR).
 O relator do processo foi o desembargador Vivaldo Pinheiro. Em caso de desobediência a ordem, o Estado será multado. “Atendendo ao requerimento da parte Impetrante, intimem-se as Autoridades Coatoras para cumprir o v. acórdão, para que implante, imediatamente, os efeitos financeiros da Lei Complementar Estadual nº 432/2010 nos contracheques dos beneficiários alcançados pela referida LCE, sejam ativos, inativos e pensionistas, com respectivos reflexos financeiros, sob pena de multa diária de R$ 1.000,00”, decidiu o desembargador.
 A decisão foi comemorada pelo Sinsp-RN. “Trata-se de uma vitória histórica na luta da categoria, pois chega ao fim uma queda de braço que durou exatos quatro anos. A implantação da tabela salarial do PCCR para os servidores da administração direta do Estado, é uma conquista conjunta do Sinsp juntamente ao Sindicato dos Servidores Públicos da Administração Indireta do RN”, afirma Janeayre.

Governo fecha Centrais do Alecrim e Z. Norte sem data para reabri-las

Central do Cidadão do shopping Via Direta, única que está funcionando
na capital, deverá ficar sobrecarregada nos próximos dias
O que era ruim, vai ficar pior. A estrutura da Central do Cidadão, na capital do Estado, que diminuiu 40% nos últimos três anos, sofreu novo revés na manhã de ontem, dia 8. As unidades da zona Norte e Alecrim – responsáveis por mais de quatro mil atendimentos diários – foram fechadas sem que houvesse qualquer aviso prévio para usuários e funcionários. De acordo com o Governo do Estado, não há previsão de retorno do atendimento nos locais. Apenas a unidade do Via Direta está funcionando e deverá ficar sobrecarregada nos próximos dias.
Quem procurou uma das unidades fechada ontem se deparou com a porta fechada e avisos fixados na vidraça. No shopping Estação, na zona Norte, o comunicado avisava apenas que “por motivos técnicos está suspenso o atendimento nesta Central do Cidadão”. No Alecrim, o aviso resumia-se à frase “hoje dia 8/7/14 não haverá expediente”.
Na zona Norte, uma servidora da repartição do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN), que preferiu não revelar identidade, explicava aos usuários que o problema era relacionado ao sinal de internet. “Estão fazendo manutenção. Não sei quando o atendimento será retomado. Só o Via Direta está funcionando”, repetia para cada cidadão que procurava atendimento no local.
A empresária Josenete Tavares, 56 anos, queria resolver algumas pendências relativas à documentação do carro. Mas voltou para casa sem atendimento. “Fui surpreendida. Não sabia que estaria fechado. Amanhã vou tentar ir ao Via Direta”, contou. O desempregado Valter Ricardo, 25 anos, também ficou frustrado ao se deparar com o órgão fechado. “Estou à procura de emprego e ouvi que havia vagas para cadastro no Sine [Serviço Nacional de Empregos]. Infelizmente vou ter que voltar para casa sem resolver nada”, lamentou.

Na unidade do Alecrim, a também desempregada Marília Pires, 25 anos, lamentava a “viagem perdida” do dia. O aviso de “não há expediente” irritou a jovem. “Vim de Ceará Mirim para dar entrada no meu seguro desemprego. Na Central de lá não consegui fazer isso. É um absurdo. Ninguém avisou nada sobre não ter expediente aqui hoje”, disse.

Explicações

De acordo com o coordenador das Centrais do Cidadão, Nelson Mendonça, a queda de uma torre – localizada no bairro de Candelária – que servia como link privado para a rede de internet das centrais inviabilizou os serviços. Além das unidades da zona Norte e do Alecrim, o serviço do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-RN), na Central do Cidadão do Via Direta, também está suspenso. O Governo ainda busca uma solução para o problema.

Utilizando estrutura própria para a internet, não havia um plano de contingência para as Centrais do Cidadão em caso de problema na torre. Assim, as alternativas seriam o conserto da estrutura ou a contratação de empresa para disponibilizar um sinal privado para as unidades. A segunda opção é a que está sendo viabilizada.

Para consertar a estrutura, o Governo precisará construir uma nova torre, que, apesar de ser de pequeno porte, não há como ser viabilizada a curto prazo. No entanto, para se contratar uma empresa e ter o sinal à disposição, também não há a possibilidade de solução imediata.

Receita libera hoje consulta a novo lote de restituições do IR

A Receita Federal abre hoje consulta ao segundo lote de restituição do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) de 2014. Serão contemplados 1.060 473 contribuintes, no valor total de mais de R$ 1,6 bilhão. O crédito bancário ocorrerá em 15 de julho.
Para checar se a declaração foi liberada, o contribuinte deve acessar o site da Receita Federal (www.receita.fazenda.gov.br) ou ligar para o Receitafone 146. A consulta estará disponível a partir das 9h de hoje. A consulta permite o acesso ao extrato da declaração, que indicará se há inconsistências de dados identificadas pelo processamento. Caso haja, o contribuinte pode fazer a regularização por meio da entrega de declaração retificadora.
O lote ainda contempla restituições de 2013 (ano-calendário 2012), 2012 (ano-calendário 2011), 2011 (ano-calendário 2010), 2010 (ano-calendário 2009), 2009 (ano-calendário 2008) e 2008 (ano-calendário 2007). No total, portanto, o crédito será de R$ 1,8 bilhão para 1.122.154 contribuintes.

Caso o valor não seja creditado, o contribuinte poderá procurar pessoalmente qualquer agência do Banco do Brasil ou telefonar para a central de atendimento do banco pelo número 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (atendimento exclusivo para deficientes auditivos) e agendar o crédito em conta-corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer banco.
A Receita informou, ainda, que a restituição ficará disponível no banco durante um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá solicitá-la por meio da internet.

Número
1.060.473 Contribuintes serão contemplados neste lote de restituições. O valor somado supera R$ 1,6 bilhão

Papel-moeda perde 78% de seu valor nos 20 anos de Plano Real


Em 20 anos do Plano Real, o papel-moeda 

no Brasil perdeu 4/5 de seu valor. Segundo um estudo do Instituto Assaf, o valor da moeda caiu 78% no período. Assim, uma nota de R$ 100 lançada em 1994, se descontada a inflação, estaria com um valor de R$ 22 atualmente. Uma nota de R$ 50, valeria apenas R$ 11; a de R$ 20, R$ 4,40; a de R$ 10, só R$ 2,20; a nota de R$ 2, valeria 0,44 centavos; e a de R$ 1, apenas 22 centavos. Neste dia 1º de julho, o plano completa seu 20º aniversário.
No período do estudo, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulou alta de 354,74% (até março de 2014), corroendo parte do valor do papel-moeda. Habitação foi o grupo que mais puxou a inflação, tendo subido 655%.
A moeda perdeu valor neste tempo, mas em teoria. Na prática, quem ainda possui uma nota de R$ 1 na carteira - artigo raro de ser encontrado - consegue vendê-la por uma quantia até 100 vezes maior, por ser considerada um item de colecionador.
Coleções, aliás, é o que não faltaram nesses 20 anos de plano. No total, o Banco Central lançou 42 moedas comemorativas. Este foi o caso do Pentacampeonato da Seleção brasileira na Copa do Mundo. Na ocasião, foi lançada uma moeda com valor de R$ 5, com 2.500 tiragens.
Neste ano, foram lançadas algumas moedas para a Copa do Mundo no Brasil. A que tem o Fuleco estampado, mascote oficial do evento, tem valor de R$ 5 e tiragem de 12 mil unidades. O preço de cada moeda é de R$ 190. Entre as notas, houve um lançamento comemorativo: a cédula de R$ 10 que celebrava os 500 anos do descobrimento do Brasil.
Em 20 anos, foram duas famílias de real, sendo que as duas ainda são válidas no mercado. A primeira foi lançada em 1994 e passou a ser substituída por uma segunda família a partir de 2010.
Produção. Atualmente, o meio circulante soma R$ 174,3 bilhões, sendo que a nota em maior quantidade no mercado é a de R$ 50, da 2ª família. No total, são 1,3 bilhão de notas de R$ 50 em circulação. A nota de R$ 1, atualmente não mais produzida, ainda tem 150 milhões unidades no mercado.